Quando se ouve boa música fica-se com saudade de algo que nunca se teve e nunca se terá. 
No seu caso meu amigo, é diferente.
 Ouço músicas, revivo as lembranças, sinto o cheiro no ar.. a saudade aperta, e o coração dói.  
 Dói intensamente o fato de saber que você se foi, para nunca mais voltar. 
 Dói muito o fato de que não verei o seu sorriso além das minhas lembranças, não te ouvirei além dos ecos que guardei comigo, não te abraçarei além dos meus sonhos.. 
  Não o ter presente, dó. Mas sabe o que mais dói? A tristeza e o remorso de não ter aproveitado o máximo dos momentos ao seu lado. A saudade machuca, mas não mais do que o peso que trago comigo.. 
 Um peso, cujo qual, venho tentando empurrar dia, após dia. 
 A cada dia memorizo aquela frase da nossa última conversa, na qual você disse "Manda um beijo pra sua mãe, e diz que logo faço uma visita". É, como a vida é engraçada, não? 
   Como o destino ousou nos pregar esta peça? Como ele pode fazer isto conosco?
  -Logo faço uma visita- isso martela dia e noite na minha cabeça, pressiona o meu coração e faz ele chorar.
 Saber que esse logo nunca vai chegar, que eu jamais vou te encontrar..
Triste, doloroso.

Espero que você esteja bem, e que daí, continue me dando esta força para seguir.
  Cuidando de mim, como sempre quis fazer.. como nunca permiti...
      eu te amo!



Em memória, Felipe Manuel Franco Pereira.
Since: 7/8/1990 - 14/2/2012




Não sinto nada mais ou menos, ou eu gosto ou não gosto. Não sei sentir em doses homeopáticas. Preciso e gosto de intensidade, mesmo que ela seja ilusória e se não for assim, prefiro que não seja. (…) 

 Só quero na minha vida gente que transpire adrenalina de alguma forma, que tenha coragem suficiente pra me dizer o que sente antes, durante e depois ou que invente boas estórias caso não possa vivê-las. (…) 

   E detesto pedir desculpas embora o faça sem dificuldade se me provarem que eu estraguei tudo achando o que não devia. Quero grandes histórias e estórias; quero o amor e o ódio; quero o mais, o demais ou o nada. Não me importa o que é de verdade ou o que é mentira, mas tem que me convencer, extrair o máximo do meu prazer e me fazer crer que é para sempre quando eu digo convicto que nada é para sempre.






Uma coisa é verídica, o mundo dá voltas.. E voltas grandes, largas, decisivas, que mudam tudo. Tal informação pode ser vista de duas maneiras: como um ponto de esperança ou um aviso de cuidado. Culpa de quem? Culpa do tempo! Dele e das nossas decisões, movidas pelo que nós somos.. E por um dedo grande e milagroso do tão citado "Cara lá de cima". 
Por destino ou não, uma hora as coisas mudam de lugar, e não há nada que você faça que mude isso. 
 Por isso o 
valor da persistência. 
Por isso a importância de se preservar aquilo que se é, de cuidar do que e de quem se tem.
Em um dia você ganha, e em outro você perde. 
 Em um dia você tem consigo a pessoa que ama, e no outro não..   E vai ser assim sempre! 
  O que é pra ser, vai ser.
 Se o mundo dá voltas, agarre-se e dê as voltas junto com ele. Acompanhe o percurso, não se deixe cair. E mesmo se cair, não tem problema. Segure-se de novo, um dia você volta pro lado de cima.

 Seja você mesmo, faça o que tem vontade, sonhe, realize os sonhos, lute pela vida, viva intensamente e desfrute de cada simples momento, oportunidade. 




 Dizem que logo antes de morrer, sua vida inteira passa diante dos teus olhos, mas não foi bem assim comigo. 
 Para dizer a verdade, eu sempre achei terrível essa história de rever tudo no momento final. Algumas coisas ficam bem melhores esquecidas, mortas e enterradas, como diria a minha mãe. Eu ficaria muito feliz em esquecer muitos dos momentos da minha vida, como por exemplo - Julho de 2007 - ou até mesmo - 29 de agosto de 2008 - ou a minha quarta série (fase da gordinha usando a moda da saia de prega e os meiões coloridos). E alguém iria querer reviver o primeiro dia do ensino fundamental? Junte isso, a todas as férias chatas em família que você foi obrigada a ir, as aulas  de química sem o menos propósito (pelo menos naquele momento), as terríveis cólicas menstruais, os tombos que faziam com que você não soubesse onde enfiar a cara, e aquele primeiro beijo, que no momento foi bom (ou não) mas que com o tempo você descobriu que foi o pior de sua vida, pois não sabia ao certo, o que fazer.
 A verdade, apesar disto, é que eu não me importaria em reviver os meus melhores momentos: As viagens com a mamãe, os abraços do meu avô, as férias no interior em que eu revia as minhas amigas, as festas que geravam toda uma produção,  os encontros (...)

   Mas, antes de morrer, eu não pensei nas viagens que fiz com minha mãe, nem no abraço de meu avô. Não pensei nos encontros maravilhosos que tive com minhas amigas. Nem sequer pensei na minha família, nem na maneira como a luz da manhã pinta de creme as paredes do meu quarto, nem o cheiro maravilhoso que fica logo após a chuva tocar a terra - uma mistura de sensações.
 Em vez disso, pensei em todas as lágrimas que fiz minha mãe derramar.
 mais especificamente: Pensei nas tristezas que causei a minha família. Sabe aquela sensação de "Eu poderia ter evitado aquilo", ou até mesmo, "Por quê?", é, foi assim que aconteceu, o meu último flash, a última sensação, a última lembrança.. não foi um sorriso, foi um aperto no fundo do peito, a sensação de missão não cumprida.
   Os últimos segundos, antes de partir, duraram mais do que os anos vivenciados. 
 Tudo ao meu redor se congelou, tudo escureceu, eu estava ali, parada, no meio de uma estrada, e o carro bem a minha frente.
 O que é mais estranho, é que durante a vida, eu não pensava nestas tristezas havia anos, e de repente, tudo veio a tona. Peso na consciência? Talvez. 
 Foi estranho.
 A questão é: você não tem como saber. Você não acorda com uma sensação estranha no estômago. Não vê sombras que não existem. Não se lembra de dizer a seus pais e amigos o quanto os ama, nem mesmo sabe a hora de se despedir deles.
  Você simplesmente não sabe.






Eu me lembro de uma vez em que assisti um filme antigo com a minha mãe; nele o protagonista falava sobre quanto é triste o fato de que na última vez que a pessoa faz sexo, ela não sabe que é a última vez. Mas eu suponho que seja assim para a maioria das coisas na vida. O último beijo, a última risada, a última vez em que você se senta no sofá para assistir um filme ou um capítulo da novela ou seriado que tanto gosta. 
Você simplesmente não sabe.
 Mas acho que é uma coisa boa, na verdade, pois se você soubesse seria quase impossível deixar de fazer.
 Quando você sabe, é como se lhe pedissem para se afastar da beira de um penhasco: Tudo o que você quer fazer é cair de joelhos e beijar o chão firme, cheirá-lo, segurar nele.
Acho que se despedir é assim - como pular de um precipício. 
 A pior parte é tomar a decisão de fazê-lo. 



Fernanda Messias.




Sempre fico escondida, comendo longe de todos, ficando longe de todos. As pessoas passam no corredor, ocupadas com seus celulares, amigos, namorados ou ego, nunca reparam em ninguém além delas mesmas. Sempre sorrio, nunca mostro o que simplesmente sinto.. as pessoas não se importam mesmo, até me fazem passar despercebida. Pego meus livros, o meu caderno e me isolo, finjo que estou ocupada estudando para a prova de biologia, escondendo minhas lágrimas dentre as folhas, escondida, sem me importar em molhar as páginas. Elas estão acostumadas com a chuva que cai em cima delas todos os dias. 

Apenas queria que alguém perguntasse meu nome, apenas perguntasse como eu estou, me fazer sorrir, mais as pessoas estão preocupadas demais com suas vidinhas. Até tentei ser amigável, tentei me enturmar, tentei me “encaixar” mais as pessoas não querem sua reputação afetada por alguém. Por alguém que elas julgam ser insignificante. Alguém que destruiria seu ego, como a maré passando por cima de um castelo de areia. Apenas fecho os olhos verdes e vejo os dias passarem, contando o tempo, vivendo meu sofrimento, tentando me controlar, ali, escondida, sozinha, tentando fazer com que as lágrimas parem...

tentando forçar novamente um sorriso, tentando ignorar o olhar de reprovação e as reviradas dos olhos das pessoas, cochichando e dando risadinhas irônicas (odeio isso).

As pessoas são monstros, não se põem no lugar das outras que fazem tanto sofrer. Se elas se colocassem iriam arregalar os olhos e ver o quanto elas podem ser más e egoístas. Às vezes apenas precisamos de alguma palavra, mesmo que seja por acaso, isso faz nos sentirmos melhores, mais não é bem assim com as pessoas. Elas me forçam a ficar ali, escondida, comer minhas barrinhas e tomar a minha coca sozinha, chorar sozinha, querer gritar desesperadamente e fingir um sorriso. 

As pessoas podem ser mais cruéis do que pensamos.

Até que um dia, um rapaz de olhos encantadores sorriu pra mim, conversou comigo, me fez sentir melhor, me fez sorrir verdadeiramente, sem precisar forçar, e desde desse dia, sempre tive alguém pra cantarolar comigo ali, escondida e alguém com quem eu podia dividir as minhas barrinhas.

E meus livros nunca mais ficaram molhados. Nunca mais precisei enterrar meu rosto neles...

até o dia em que ele partiu!





 Saudade é não saber.. 
 Não ter a certeza de nada..
Não saber mais se ele continua se gripando no inverno.
 Não saber mais se ela continua pintando o cabelo.
 Não saber se ele ainda usa a camisa que com tanto amor, você deu. 
Não saber se ela foi na consulta com o médico como prometeu. 
Não saber se ele tem feito tudo direito, se ele tem ido a faculdade, se ele aprendeu a entrar na Internet, só para ler o que para ele você escreve.
 Se ele aprendeu a estacionar entre dois carros da maneira como você ensinou, 
se ele continua fumando, se ela continua preferindo Refrigerante sem gás, se ele continua sorrindo, se ele continua saindo, se ele continua cantando, se ele continua lhe amando. 
Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche. 
Saudade é não querer saber. 
Não querer saber se ele está com outra, se ele está feliz, se ele está mais magro, se ela está mais belo. Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e ainda assim, doer. 






Não tente me reconfortar. Não me digas palavras de carinho. Não me peças para sorrir. Por agora, não me peças nada.
Não me peças para sorrir, quando nem os meus lábios se irão abrir para uma palavra quanto mais para um sorriso. Os meus braços, que tantas vezes se estenderam à procura dos teus, hoje estão contra o peito, como se tivessem o poder de salva guardar o meu coração.
Eu vou estar aqui, à espera que as minhas esperanças morram de fome.
Dei-te o que de mais precioso tinha: os meus sentimentos. Só os soubeste desprezar.
Enquanto estás a rir, o meu coração aperta por estar longe de ti. Quando choras por alguém não te amar, cá dentro dói, por não ser em mim que buscas esse amor que tanto anseias.
Sabes que mais? Eu não te iria pedir a lua, apenas gostava que te sentasses comigo por baixo dela. Partiste-me o coração, mas mesmo assim, cada caco que dele faz parte continua a amar-te, como se estivesse completamente intacto, e sem qualquer cicatriz. Ele ainda bate por ti, simplesmente tu é que já não o queres ouvir.
Vou esperar o momento de recuperar todas e quaisquer esperanças que me restam e, só as cicatrizes que dele ficarem me poderão lembrar que foi real. Até lá, não me peças nada.




Para você, eu tentei escrever..
em poucas linhas, quis te descrever.
Mas acabei, que escrevi, o que penso sobre você.
Eu tentei,
várias formas, eu busquei.
Mas em todas estas tentativas, eu falhei!

O meu erro foi me envolver,
e acreditar que entre nós, alguma coisa iria acontecer.
Não que eu não tenha acreditado em você,
você foi sincera, e isso desde o inicio eu pude perceber,
mais os obstáculos foram crescendo cada vez mais,
me impedindo de te ter.

E hoje penso, o que mais vai acontecer?
será que esta situação, vai prevalecer?
E o que eu faço, se eu não consigo deixar de te querer?
Meu coração tenta, mas não consegue lhe esquecer.

Eu preciso de você,
eu quero você,
estou loucamente apaixonada por você..
mais a realidade, não me permite ter você!



Não consigo conter estas lágrimas que parecem frias e cheias de vazio.

Hoje, eu já não consigo ocultar o quanto estou triste..
e por ser fraca, deixo-me vencer por esta força suprema..
triste, que nasce nos meus olhos e morre sobre o meu coração.
Uma dor interna, que ninguém faz ideia.
São lágrimas que escorre,
lágrimas sem sal, sem sabor, sem cor..
lágrimas que eu não consigo secar.

São lágrimas, que são provocas em mim sem dó nem piedade.

Estas lágrimas de um amor que cessou...
Um amor que pareceu existir,
mas de um conto não passou.

Um amor, que hoje se transformou em dor.
Um vazio constante,
são lamentos torturantes.



E eu me pergunto todos os dias,
será que você ainda se lembra daquela florzinha sem perfume,
que numa tarde chuvosa eu te dei?
Será que você ainda se lembra daquela florzinha singela,
que timidamente eu lhe entreguei?
Talvez você nem a tenha olhado,
e quando virei de costas, deve ter a jogado fora.

Aquela simples florzinha de cor amarela.
Hoje, apenas um corpo morto e ferido jogado ao vento,
Por ter sido tão desprezada.
Aquela linda florzinha..
Símbolo do meu amor,
e que assim, como ela,
Hoje se encontra revirado em meio à terra podre
Deste meu coração.
Um amor embolorado que tanto o desejou...
Em vão.

E agora, de tudo isso, o que restou?
Um passado frio e remoto
Que a mim, não mais pertence
Por ter sido arrancado impiedosamente de mim,
a apenas algum tempo de contemplação.
Um amor que não mais me cabe senti-lo,
Mas que teimosamente prefere habitar um peito ferido,
Que sabe como guardá-lo, assim como esse meu.
Do que permanecer num peito gélido e calculista, insensível e cretino.
Assim como esse seu.



Eu a partir de agora, vou ser cautelosa ao falar com você,
mas saiba de uma coisa..
foi muito bom te conhecer,
passar uma tarde com você,
rir, brincar, te ouvir, te beijar.
Olhar fundo nos teus olhos, e te abraçar.
Poder saber da tua história,
e bem mais sobre você.

Ah, como foi bom te ver ..
mas confesso, cautelosa vou ser,
pois se não,
irei me apaixonar por você.
Não que seria um erro, muito pelo contrário,
um possível acerto..
Mas quero compor essa história,
sem rima e sem prosa.
Quero te ter, estar com você...
e eu sei que tudo isso pode e vai acontecer..
só é preciso, cautela haver.



De mais um sonho bom com você eu acordei
e quando olhei pro lado
pude ver que a realidade é não te encontrar.
Sentir tua presença é o que eu queria
foi o que sempre me confortou.
Tudo que eu queria era te abraçar agora.
A gente estava tão feliz..
e você com o seu doce jeito era capaz de transformar
qualquer lugar em luz, em paz,
E agora como fica meu mundo sem você?
Algum sentido nisso tudo, de um modo deve haver..
e eu queria entender..
Eu errei, te magoei, te deixei..
o tempo passou e depois de tudo isso a vida de mim se vingou...
ela te levou!
Mais meu amor, saiba que os nossos momentos nem o tempo vai apagar.
As nossas lembranças, para sempre em mim vão ficar.

O que me acalma e me traz paz é lembrar de você,
e eu sei que nossos planos é o que tínhamos juntos pra viver.

Parece até que ouço você me dizendo,
Que devo aceitar o que esta acontecendo.
Mas eu não consigo aceitar que você se foi,
que a vida te levou.
Hoje, para você, envio minha preces em lágrimas de dor,
Pensamentos e lembranças do cheiro e calor e de todo o meu amor.
Do beijo mais perfeito da palavra mais amiga,
Você foi o meu grande amor, e agora é o meu amor além da vida.
Esteja onde você estiver, quero que você saiba
que não existe um dia, uma tarde uma noite que eu não me lembre de você,
qualquer mínimo detalhe me faz pensar em você,
é Impossível de esquecer.



Já foi raiva, já foi dor.
Já foi lamento, já foi tormento.
Já foi decepção e no começo de tudo foi paixão...
Mais que isso, foi amor, pois eu me entreguei de coração.
O que será que aconteceu?
Onde foi que tudo se perdeu?
E onde foi parar tudo que se viveu?
São perguntas sem respostas,
protagonistas sem histórias..
Um coração partido,
um sentimento sofrido..
tudo isso gerou uma vida amargurada,
textos sem sentido,
sentimentos escondidos.
O mundo cor de rosa despertou,
e uma nuvem preta da vida se apoderou.
O sorriso dali fugiu ..
e dentre as lágrimas se afogou.
Onde tudo no começo não passava de um tolo amor.
Uma história triste,
que antes não era assim.
Um conto de fadas, sem o seu final feliz.
A página se rasgou,
o capítulo mudou,
mas o livro da vida, ainda não se acabou.
Vou ler e escrever, até tudo de vez se perder..
Vou sofrer, vou chorar, vou amar até morrer..
isso se chama viver.



Na janela do meu quarto, nela me encostei e a lua eu olhei..
E ela estava chorando, e enquanto eu a via assim, brotaram em meu peito palavras que me puseram a escrever..
São estes versos singelos quem dentro de mim surgiram, são partes do que já me esqueci de recordar. Pois mesmo que o choro não fosse meu, com a luz da linda lua, eu me pus a chorar.


As vezes ninguém ouve o meu silêncio..
Sim, ninguém ouviu o meu silêncio.
Ninguém ouvir os meus lamentos, nem mesmo as minhas suplicas..
não ouviram os meus soluços que foram muitas noites abafados pelos travesseiros..
ninguém pode presenciar o meu choro calado durante um certo tormento.

Ninguém ouvir os meus gritos durante o meu silêncio.
A única coisa que conseguiram ouvir, foi aquele triste e penosa música que sussurrou em meu ouvido junto com o vento..
Ninguém viu quando a minha última lágrima escorreu dos meus olhos verdes..
caiu dentre os meus lençóis, já manchado de tantas lágrimas, e ali mesmo secou.
Ninguém viu a minha última lágrima escorrendo dente a minha alma,
Onde o meu orgulho manchou.
E só secou, muito tempo depois.
Só puderam ver o meu travesseiro encharcado pela torrente de lágrimas que dos meus olhos jorraram prensados pelo meu coração,
muito tempo depois..
E por fim, ninguém viu quando o meu coração bateu pela ultima vez
Ninguém pode enxergar quando o meu pranto cessou,
Ninguém ouviu que o meu desespero que tanto soluçou se calou..
Se puderam ver um semblante vazio que um triste amor em mim plantou.

Nada mais aqui se ouviu,
Nada mais aqui se sentiu.
Porque a alegria que outrora aqui vivia,
Pela ultima vez, aqui sorriu.
E depois disso, nada mais eu senti.
Nada mais presenciei,
Pois quando meu amor partiu,
Para outro céu voou.
E agora minha alma descansa,
No jardim dos anjos esquecidos.
Hoje nada mais se lembra,
Por terem desistido de manter de mim, qualquer lembrança.



As vezes não conseguimos enxergar a realidade, não conseguimos ter uma visão de como a vida realmente é. Temos uma rotina, e dentro dela adaptamos nossos pensamentos, e obtemos uma perspectiva de vida.
Mas agora eu pergunto, será que sabemos além do que nossos olhos podem ver?
Será que sabemos que a vida vai muito além de um olhar e uma certeza?
Não, acho que não.
Constantemente reclamamos de detalhes abundantes, assuntos que não tem tanta importância, a palavra ideal seria, futilidades.
Verdade, quem nunca fez isso? Eu mesma muitas vezes me pego fazendo isso. Reclamo do frio quando esta frio, do calor quando esta calor, da fome quando estou a algumas horas sem comer, e aí eu paro para pensar, e aquelas pessoas que estão na rua, a dias, meses, anos, no frio sem nem ao menos um cobertor para se aquecer, uma cama para deitar, e a muito tempo sem nem ao menos ter uma digna refeição? É, vivemos em um mundo muito desigual, um país injusto. Muitas pessoas presenciam estes fatos, e não param para pensar, muitos passam despercebidos, ou abaixam a cabeça e fingem que não viram, outros julgam “ Ah, se ele esta ali, é porque merece, alguma coisa ela fez” , tá, agora eu digo, e se ela fez? Quem somos nós para julgar? Somos a perfeição? NÃO!
Todos nós acertamos, e erramos, e do mesmo jeito que quando acertamos queremos continuar tentando, acho que todos deveríamos ter o direito de corrigir nossos erros, porém, nem sempre temos estas pequenas chances.
Vivemos em um país que temos por necessidades básicas, moradia, comida, estudo, trabalho e uma vida digna, mas isso é na teoria, não na pratica.
Isso é triste. É doloroso. É cruel.
Quem nunca viu uma pessoa revirando um lixo procurando algo para comer, ou em dias frios viu uma pessoa na rua se cobrindo com uma folha de jornal, não sabe o que é se sentir inútil, sim, inútil, em ter a vontade de colaborar para mudar o mundo e não poder.
Você deve estar ai pensando (o que essa menina ganha escrevendo isso? ) ou até mesmo dizendo (até parece que ela nunca reclamou de nada, até parece que ela é perfeita), como eu disse, ninguém é perfeito, muito menos eu, e sim, já reclamei muito, até hoje reclamo, mas com o passar do tempo, minhas atitudes mudaram, e eu passei a olhar muito além da janela da minha casa, passei a ver muito além do que os meus olhos podem enxergar, e com isso, sinto que me tornei uma pessoa melhor. Não melhor do que outras pessoas, mas melhor do que eu mesma era antes.
Aprendi que quando vivemos a realidade como ela realmente é, conquistamos muito além do que achamos que merecemos. Tiramos lições de vida extraordinárias, e aprendemos que ajudar ao próximo, não mata ninguém.

Infelizmente nada é como queremos, e nem nunca vai ser, mas tenho a certeza de que se cada um fizer a sua parte, e colaborar de um jeito, por menor que ele seja, o mundo vai ser muito melhor, e vamos enxergar a realidade como deveríamos.



Segunda-feira, 3:59 da manhã, o vento forte lá fora fazendo tremer a janela, e roubando a minha calma e o meu sono. Aqui dentro, nessa sala vazia, sou só eu e o meu copo de vodka, uma garrafa vazia e os meus pensamentos talvez, perdidos em uma esquina.
Entender o que se passa na cabeça das pessoas é fácil, quando se compara em entender o coração. Ao ouvir essa brisa, fico imaginando mil coisas, são pensamentos perdidos em vão, pensamentos aleatórios, que talvez não façam sentido algum nem a mim mesma, assim como as linhas que escrevo.
Dizem que beber não leva ninguém a nada, mas cada garrafa vazia, tem uma história para contar, e hoje eu vou contar a minha (que chatice, não?).
Não, eu não estou bêbada, também não estou completamente sã, talvez um pouco alucinada, sim, acho que essa é a palavra, alucinada, mas não devido a bebida, e sim aos meus pensamentos, que mudam constantemente, que um dia me controlam e no outro me fazem controlar, que me divertem, e que me entristecem, que me confundem e me trazem uma certeza, que complicado não? Metáforas? Não, loucura mesmo! Mas nem ligo, pois ser diferente é normal, (Tá, você deve estar pensando que eu não sou diferente, nem normal, mas idaí? Eu quis citar essa frase po.)
Minha cabeça dói, mas não tanto como o meu coração. São mil pensamentos presos dentro dele, são mil e um momentos armazenados e lembrados diariamente, estou em uma briga constante com o meu interior. O certo e o errado, o bom e o ruim, o medo e a coragem, a dúvida e a certeza, o meu mundo e a realidade, isso tudo me levou a estar aqui hoje, nessa noite fria e amargurada, sozinha nessa sala, bebendo e escrevendo, lembrando e remoendo as verdades da vida.
Nada que eu escrevi fez sentido, mas na vida, nem tudo faz sentido diante de nossos olhos, não é mesmo? Nós fingimos que sabemos, e fingimos acreditar que entendemos o porque não sabemos, mas na verdade, ninguém pode explicar o sentido.
Foi confuso, mas foi verdadeiro!



Hoje o meu post vai ser diferente do que estou costumada a escrever (aliás, todos ultimamentetem sido diferentes, fugiram dos meus padrões). Eu não sei o que anda acontecendo comigo. meus pensamentos estão se transformando em sentimentos, estou confundindo sonhos com a realidade, uma realidade que deixou de me pertencer a muito tempo. Estou misturando as coisas, desejando o indesejável, me apaixonando pelo irreal. O que se passa dentro de mim? Faz quase cinco meses que ando irreconhecível, acho que a partida de uma pessoa querida, me deixou assim. Eu não acreditei, eu até hoje não aceitei. Sinto que não posso mais ficar assim, um lado saudade, outro lado remorso. Aconteceu o que tinha que acontecer? Ouço isso todos os dias, mas não me entra na cabeça, não consigo assimilar os fatos e aceitar a realidade e a vontade de Deus! Todos dizem que preciso de ajuda, que preciso me concentrar em outra realidade e apagar as lembranças, me livrar dos pensamentos, mas não é fácil. Eu não consigo! Quero gritar, e de repente chorar, e depois sorrir, e depois me deitar e quieta estar.
As notas musicais das canções ficam latejando na minha mente, e o seu perfume não sai de mim, flashes de momentos passam em minha mente a todo momento.
Eu ainda vou onde costumávamos ir, na esperança de te ver de novo.
Eu preciso aceitar a realidade, pois essa minha fantasia, esta afastando as pessoas de mim.
Eu não sei o que fazer, o que falar, para onde ir, o que pensar...



Eu passo meus dias tentando entender o que é que prende os meus pensamentos a você. Fico tentando entender porque tudo me faz lembrar você. Que sintonia louca é essa. Me faço perguntas e você me da as respostas. Te vejo presente nos meus sonhos, tentando achar um jeito de tornar-los reais.
Vejo suas fotos e me passam mil coisas pela cabeça, uma delas é que esse é o único jeito que poderei ver te novamente. Leio e releio suas cartas, e isso me trás uma grande sensação de culpa, uma amargura. Enquanto eu tentava te fazer de tudo para não te magoar, foi quando eu mais te machuquei. Achei que tinha tomado uma decisão fazendo o certo, mas na verdade foi o errado. ou não ?
à, que confusão de sentimentos.

eu queria tanto te ver, te abraçar, e agradecer pelos teus sentimentos e me desculpar pelos meus. Queria mostrar que você foi, é e sempre vai ser muito importante pra mim.



Pois é caros leitores, todos nós sabemos que a verdade não é sempre a mais fácil e a mais conveniente escolha, quem não sabia, esta sabendo agora. E com certa frequência a escolha da verdade pode ser extremamente dolorosa, porém, a longo prazo a verdade nunca e em momento algum jamais fracassa, isso você pode ter certeza!
Quando você passa por um momento no qual evita a verdade, você passa a colocar uma grande quantidade de energia em algo que só irá promover retrocesso, na linguagem popular, em algo que irá fracassar! Ao invés disso, por que não trabalhar diligentemente com a verdade, não é mesmo? Nesse caso, você sempre estará fazendo progresso, pois com a verdade,
TUDO VAI PRA FRENTE.
Aquelas pessoas que estão lutando sempre contra a verdade, por algum motivo inútil sempre evitando a verdade, estão empenhados numa batalha perdida.
Use cada oportunidade, cada momento para se colocar ao lado da verdade, SEMPRE!
Sabe por que estou dizendo isso aqui caro leitor? Pois por experiência própria eu digo, afirmo, e repito, o engano tem um preço alto demais e não traz consigo nada de absoluto valor, muito pelo contrário. Já à verdade, lhe liberta para alcançar, realizar, aprender, experimentar e expressar o melhor que Deus e a vida tem preparado e reservado para você. Seja verdadeiro consigo mesmo, com o mundo ao seu redor e por toda a sua vida, pois você jamais irá se arrepender, pode apostar.
A verdade tem a habilidade de fazer com que você olhe e se movimente SEMPRE para a frente. Então vamos mudar, para fazer acontecer.



Sim, sou covarde.
Não sei como me desculpar, não sei o que dizer
acontece que eu sei como é se sentir assim,e como sei
isso não foi intencional, mas minhas desculpas não vão aliviar sua dor, eu sei

então o que me resta, é deixar-te essas palavras
desculpe-me, também, por não ter coragem suficiente de me despedir de você decentemente.
Mas quero fugir dos seus olhos, por ter medo de cair novamente em tentação
e eu não quero mais iludi-lo.
Perdoe-me, não queria magoa-lo, mas pelo visto não obtive muito sucesso
não poupe minha dor se flagelando ainda mais
pode me odiar, afinal, eu o magoei... mas foi melhor assim.
Logo você descobrirá porque tive que ser fria e misteriosa ao dizer que logo mais você saberá como me esquecer
querido, estou partindo.. sem dizer um ADEUS
[ odeio despedidas ]
Pode ser que você me esqueça assim, já que ficarei muito tempo fora e nem sei se retorno
Não somente a você mas, ao resto do mundo.
Sabe, a ferida voltou a sangrar, embora eu ache que nunca tenha estancado totalmente o sangue.
Dói demais tudo aqui dentro e eu tenho medo de não suportar e, de repente...
cair.
Medo de não suportar mais um segundo tudo isso
as coisas que faço àqueles que me amam
eu não queria que alguém sofresse por minha causa, mas quanto mais eu tento, o fracasso se torna evidente.
Então, eu entendo se você não mais falar comigo...
Isso é uma despedida, mas como disse, não a você...
Mas a todo o resto.

ADEUS!




E então quando se sentires sozinho, olhe-me e eu saberei
Toque-me e eu sentirei,
Que é de mim que tu precisas.
E é nessa hora que eu paro e sento aqui, nesse canto isolado e escuro do meu quarto.
Esperando teu chamado... Esperando o teu riso.
Ah! Posso ver que te desesperas agora..
me ouvindo falar, me ouvindo clamar...
Então, querido nem precisas esforçar-se muito.
És louco e sabemos bem disso.
Mas, fazer o quê, as melhores pessoas são assim...
E eu sei, sou bem louca também
O bastante para sonhar contigo,
sonhos que duram noites, dias...
Porque nessa escuridão eu só posso sentar e aguardar
Espero pelo teu riso.
As cortinas se fecham e acaba o espetáculo
Volto para casa com o coração novamente batendo
És um louco e sabemos bem disso...
Talvez o suficiente para me amar.


Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos - não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação?
Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país?
A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração - e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Sonia Hurtado




Eu já não sei mais em quem confiar,
no que acreditar,
quais as verdades que devo ouvir,
e as mentiras que devo esquecer,
a quem eu devo procurar,
e quem eu devo esquecer,
a quem ou ao que devo me entregar.
Busco dentre as palavras mas lindas e sabias
a melhor para expressar o meu sentimento.
Mas de que me adiantam elas se na verdade eu morro por dentro?
Me tortura a cada dia nas decisões erradas que um dia eu tomei,
fico me comparando,
me corroendo por entro,
me decepando..
ah, eu fico sofrendo!
Não fico apenas sofrendo por alguém que não me ama,
mas sofro também por ter jogado a felicidade fora.
Para que viver se estou infeliz com a vida?
Para que insistir se estou insatisfeita com tudo?
Para que fingir um sorriso se na verdade eu choro e morro por dentro?
Me escondo atrás da maquiagem ...
O meu verdadeiro eu encontra-se desligado deste terrível universo e preso a dor do meu mundinho que um dia foi cor de rosa e que hoje são apenas cinzas, uma escuridão, são apenas trevas de um sofrimento que não tem fim.
Só vejo fumaça, cujo qual me serve apenas para despistar a luz da felicidade, se é que ela existe para mim,
se é que ela existe no meu mundo,
eu duvido,
mas eu já não sei se está duvida é certa ou errada,
pois na verdade eu já desacredito de tudo.





Sabe, hoje eu estive pensando, em relação as redes sociais, sendo mais especifica, o twitter. Poxa, ter um twitter é ser MUITO forever alone, você fala o que você pensa, o que você quer fazer, o que você faz, o que você vai fazer, tipo, parece que você não tem ninguém para falar. De verdade, quem quer saber que você esta indo no banheiro, ou que você não tomou banho hoje porque esta frio? Eu não quero saber, de verdade! Tudo bem, eu tenho um twitter, e também já escrevi muitas coisas inúteis lá, porém, não cheguei a esse nível que citei. Bom, o twitter é seu, você escreve o que você quiser, mas sei lá né, vai que cola! Hahaha

Mas eu gostaria muito de entrar em UM twitter pelo menos e ler: NOSSA, HOJE EU TENTEI SALVAR O MUNDO, ou mesmo, PRESTEI SERVIÇO COMUNITARIO, ou me contento com A NOSSA POLITICA É UM LIXO, eu ia ficar tão feliz em pensar no ser humano! Mas enquanto esse dia não chega, vou ter que ler que a balinha verde do pacotinho de bala de goma é deliciosa, e que tem gente que anda com calcinha furada porque diz que da sorte, mas enfim, é a vida né!

Mais uma coisa, sei que normalmente os leitores do blog lêem textos, poemas, falando de amor, e bla bla bla, não que seja bla bla bla, mas é que eu não quero tornar repetitivo esse paragrafo com a descrição do blog, mas então, dessa vez eu fugi dos “padrões” e quis escrever o que penso. Em tudo o que escrevo, digo o que penso, como hoje, uns podem achar que esse post de hoje não tem nada a ver com FRÁGIL CORAÇÃO, mas se parar para pensar, tem sim, meu coração é muito frágil para aguentar coisas inúteis, pronto, falei! Me desgrace, me odeie, só não se esqueça que eu fui sincera. 1 beijo.



Há momentos em que virar a página não é o suficiente, é preciso rasgá-la de uma vez por todas.
Como sempre, eu estive pensando no que vem acontecendo, e mais uma vez cheguei a mesma conclusão de sempre: SOU UMA IDIOTA. Sim, uma verdadeira idiota, sempre tentando, sempre esperando que as coisas mudem, criando expectativas e idealizando o tão esperado dia deu ser protagonista de uma história que não é minha! Acho que esse foi meu maior erro e o maior problema, me intrometer em uma história que não é minha, onde já existem os personagens, os cenários, e até o possível felizes para sempre, ele só não foi encontrado ainda.

É muito difícil, principalmente as pessoas que não assumem seus sentimentos, isso é terrível! Uma pessoa não ter coragem de dizer o que sente, ou ter medo de ser feliz.. e no meio disso tudo, sempre surgem pessoas que acabam se tornando bode expiatório no meio de tudo isso (Tá legal, estou falando de mim, me sinto um bode expiatório, neste exato momento estou me sentindo uma virgula no capítulo de uma história que não é minha). Delicado demais descrever o que me sinto neste momento, sempre encontro palavras para representar os meus sentimentos, mas desta vez é diferente. As palavras fugiram, os meus pensamentos se esconderam, sou um corpo sem alma nesse momento...

Momento, momento, só falo de momento e não consigo colocar na minha cabeça que isso é um momento, um momento que não é meu.

Quem sou eu para dar concelhos, não é mesmo? Mais uma coisa eu me sinto na necessidade de falar, quando a gente não consegue lidar com os nossos próprios sentimentos, a gente não brinca com os sentimentos das pessoas, ninguém tem o direito de brincar com as palavras, independente de ser involuntário ou não, não é certo! Vamos começar a pensar mais em nossas atitudes, as vezes a prática não vale de nada quando não se tem nenhuma teoria!



O meu amor me ligou
e disse que viria me ver,
jurou me encontrar
para de nós conversar!

Afirmou sentir saudades
por fazer tanto tempo que estamos sem nos ver.
Disse também que pensava muito em mim
e não sabia o porque tudo estava assim.

Desejava me ver
e em teus braços me prender.
Queria me beijar
e muito me abraçar.
Disse também que me adorava
mesmo quando queria me odiar.
E que só de me ouvir falar,
conseguia se encantar.

Disse tantas coisas bonitas
que eu alucinada acreditei..
eu me envolvi,
e me apaixonei.

O problema foi quando eu acordei..
ao abrir os olhos eu me toquei
que tudo isso era apenas mais um sonho.
Cheguei à acreditar que era real
mas a única realidade
é que eu não te tenho..

Tenho que aceitar
e me conformar
e intender que só poderei te ter
quando os meus olhos eu fechar..
e começar a sonhar.






É, já faz um bom tempo
Que eu não tenho ouvido a sua doce voz
Eu ainda não estou em paz
Eu não sei brincar de ser feliz a sós.

Passar os dias sem você
é como uma tortura lenta
Ter que me acostumar
A seguir só.

Sou forçada a me despedir então
Embora eu não queira
Pois eu sei bem que não há outra maneira.
Eu te quero, mas não tem mais jeito.

As vezes eu olho pra traz
E me sinto muito mal
Por perder o que eu sempre quis.
Mas eu não sou capaz de mudar esse final
Então se você realmente quer assim
que seja!

Eu só te peço, não esconda de mim a verdade
Não adianta negar, eu vejo no seu tom de voz
Que chegou a hora de nos despedirmos.
Então eu me despeço
Embora eu não queira..
Pois eu sei bem que não
Há outra maneira.

Tudo que eu precisava ouvir..
era você dizer..
que vai sempre se lembrar o quanto a gente foi feliz.
De cada dia que passamos juntos ...

É difícil, vai doer..
Mas eu sei que o tempo vai passar
E essas feridas vão cicatrizar
Quem sabe aí então possamos tentar outra vez, não é mesmo?



Eu quero você,
eu desejo você,
quero sentir teu cheiro em meu rosto.

Eu quero você,
eu desejo te ter
quero sentir meu gosto no teu beijo.

Eu quero você,
eu desejo prender você
quero sentir o teu toque em meu corpo.

Eu quero você,
eu quero cada vez mais você,
quero sentir meus dedos dentre seus cabelos

Eu quero você,
eu só seu te querer,
quero sentir o teu amor em cada toque,
quero sentir o teu sorriso em cada afago,
me embalando, me estigando, me amando.

Eu quero você,
apenas você.



Duas estradas
confundindo se entre si
em curvas e contra-curvas
como dois laços
aproximando-se, enrolando-se.
fazendo com que o inicio de uma
se torne no final da outra


somos dois limites
somos feitas de carinho, de amor e de abraço.
somos feitas de beijos,
somos feitas de desejos,
somos feitas de anseio..



estamos nos envolvendo
nos aconchegando..
nos conhecendo,,
aos poucos se entregando.
Nos entregando ao sentimento
fazendo com que tudo entre nós se entrelace,
como os laços que se aproximam,
como laços que se unem..
como esse sentimento que perdura,
esse sentimento que me perturba,


somos dois limites
somos feitas de carinho, de amor e de abraço.
somos feitas de beijos,
somos feitas de desejos,
somos feitas de anseio..


espero que fique,
espero que marque,
espero que seja real e verdadeiro,
um sentimento sincero...
vou estar ao seu lado,
quando precisar rir,
quando precisar chorar..
basta apenas você me procurar










Chegam momentos na vida da gente, em que simplesmente precisamos tomar decisões, seja pra decidir qual a roupa que você vai usar naquela balada no sábado, ou qual a cor do esmalte que vai pintas as unhas, que corte de cabelo fazer, ou até mesmo se deve cortar o cabelo ou deixar-lo crescer. Tá, não é destas decisões que na verdade estou falando, isso foi só para descontrair, estou me referindo a decisões do tipo, "Como vou fazer para salvar o mundo" entendeu? Não, acho que não, bom, vou direto ao ponto, estou me referindo a decisões como, "será que eu devo seguir o meu coração?", "será que devo arriscar minha total razão pela minha quase emoção?" (você deve estar se perguntando porque tantos rodeios para citar dois infelizes exemplos de decisões, né? Mas esse é meu jeito, muita teoria, muita teoria, muita... acho que você já entendeu).

É complicado! Nossa, como estou cansada de ouvir essa frase! Porra, nada é complicado demais que não possa ser resolvido, afinal nós mesmos, as vezes sem perceber, acabamos fazendo tudo se tornar complicado, sabe como? Com as nossas DECISÕES! Pronto, era aí que eu queria chegar..
Muitas vezes temos o direito de escolha, decidir o que queremos, o que vamos, o que pretendemos fazer, quase sempre temos o livro arbitre nas mãos, e o que a gente faz? Ferra com tudo, joga tudo por água baixo.. pois é!
Você deve estar achando que estou sendo muito dramática, ou que estou falando nada com nada, mas não, essa é a verdade, a minha verdade, a verdade que se reflete da vida diante meus olhos.
A sociedade só sabe impor que devemos fazer o que é "certo", ou que devemos fazer o que "sentimos", como se isso fosse a coisa mais fácil do mundo né? E é!
Sinto concordar com isso, mas é. Se pararmos para pensar em todas as decisões que já tomamos, e analisar o motivo a qual nos levou tomar estas decisões, vamos ver que a maioria não nos agradou. Quase sempre estas decisões firam baseadas no que os outros vão pensar, ou no que os outros vão falar, no que A SOCIEDADE VAI PENSAR.
Meu, para tudo, será que as pessoas sempre pensam no que nós vamos pensar, ou no que nós vamos falar, ou no que NÓS VAMOS SENTIR? Tenha a certeza que não.
Nem sempre as pessoas se importam com a gente, e a sociedade então, acho que não preciso nem citar né?

Sério, de verdade, eu acho que deveríamos pensar mais em nós mesmos, no que realmente nos faz bem, deveríamos dar valor ao que realmente merece valor, e não a coisas relevantes e opiniões insignificantes.
Eu não sei se o meu texto fez sentido para você, mas para mim fez, sabe por quê? Porque eu desabafei, sem medo da sociedade me criticar, sem medo do que os outros vão pensar. Eu não acho que nada é complicado, apenas as pessoas!